terça-feira, 25 de julho de 2017

Niterói celebra o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais


O Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais é celebrado 28 de Julho em todo Brasil.  Lembrando a importância da data, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Niterói está realizando até a sexta-feira (28), das 9 às 17h, a campanha de testagem rápida das hepatites B e C e vacinação de hepatite B nas policlínicas, unidades básicas e módulos do Programa Médico de Família do município. Dentre as ações, estão a intensificação dos testes rápidos, informações sobre cada tipo de hepatite e orientações sobre a vacinação contra a hepatite B nos espaços. Além disso, escolas e salões de beleza próximos das unidades de saúde vão receber atividades educativas. 

As hepatites B e C são doenças infecciosas que afetam o fígado, podendo evoluir para a hepatite crônica, que tem como principais complicações a cirrose hepática e o câncer de fígado. Essas hepatites podem ser transmitidas por transfusão de sangue; compartilhamento de agulhas, seringas, canudos ou cachimbos; exposição percutânea, ou de mucosa, a sangue ou fluidos corpóreos; relações sexuais sem uso de preservativos; uso compartilhado de escova de dente, alicate de unha, barbeadores e lâminas; hemodiálise; transplante; e tratamento dentário.

O uso de preservativo em todas as relações sexuais para a prevenção é fundamental. As diretrizes de prevenção também incluem o não compartilhamento de agulhas e outros objetos que furam, cortam, ou e que entrem em contato com as mucosas e que estejam contaminadas. No caso da hepatite B, a vacinação é a principal forma de prevenção e está disponível em todas as unidades de saúde para indivíduos com idade até 49 anos. Grupos considerados de alto risco de exposição ou alta suscetibilidade também devem ser vacinados nas unidades da rede.

Carlos Henrique Gomes das Neves, 34 anos, esteve na Policlínica Carlos Antônio da Silva na tarde desta segunda-feira (24) para se inscrever no grupo de tabagismo. Quando soube da campanha de testagem, imediatamente realizou o procedimento. “É uma iniciativa muito importante para saber se temos a doença ou não”, afirmou Carlos. 

 Os testes rápidos para hepatites B e C, realizados para diagnosticar possíveis casos das doenças, também são considerados métodos preventivos, principalmente às gestantes durante o pré-natal, e no caso da hepatite C, às pessoas com idade entre 45 e 65 anos.

A secretária municipal de saúde de Niterói, Maria Célia Vasconcellos, explica que campanhas como essa são importantes para que as pessoas estejam conscientes dos riscos de contrair doenças e as formas de prevenção.  

“Com a campanha, informamos e alertamos a população que a prevenção é o melhor método de combater essas doenças. Por isso, é fundamental que datas como essa estejam inseridas em nosso calendário”, declara a secretária, reforçando que FMS oferece os testes rápidos e a vacina, no caso da hepatite B, gratuitamente nas unidades da rede. 

Outras atividades – Integrando as atividades do Julho Amarelo, haverá também a reinstalação da Frente Parlamentar das  DST/AIDS e HEPATITES VIRAIS de Niterói no Auditório da Câmara Municipal de Niterói, dia 27/7, às 18h. Encerrando as atividades, a ONG Genesis irá promover uma conscientização da população no Campo de São Bento, dia no dia 29, de 9h às 15h.

Fonte: O Fluminense

Escola Politécnica lança edital do Processo Seletivo 2018



A Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) lançou o edital do Processo Seletivo 2018. A escola oferece 96 vagas em três habilitações técnicas integradas ao Ensino Médio – Análises Clínicas, Biotecnologia e Gerência de Saúde. As inscrições estarão abertas de 15 de agosto a 06 de setembro de 2017 e serão feitas pelo site www.processoseletivo.epsjv.fiocruz.br. O valor da taxa de inscrição é de R$ 50,00. Os candidatos que desejarem solicitar isenção do pagamento da taxa de inscrição devem preencher o Requerimento de Isenção online, disponível no site do processo seletivo, de 31 de julho a 9 de agosto de 2017.

Os candidatos deverão usar, exclusivamente, CPF próprio para fazer a inscrição. Aqueles que ainda não dispõem de CPF, podem solicitar o documento nos bancos públicos, como o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, nas agências do Correio ou na página da Receita Federal na internet.

O Processo Seletivo da EPSJV é feito por meio de prova e sorteio público. A prova está prevista para o dia 8 de outubro de 2017. O exame terá 28 questões de múltipla escolha, sendo 14 de língua portuguesa e 14 de matemática. Os candidatos que acertarem, no mínimo, 50% de cada uma das áreas de conhecimento serão considerados aptos para a participação no sorteio público, que está previsto para o dia 11 de novembro de 2017.
A EPSJV fica na Avenida Brasil, 4.365, em Manguinhos. Mais informações no site do Processo Seletivo 2018, pelo e-mail processoseletivo@epsjv.fiocruz.brou pelo telefone (21) 3865-9805.

Fonte: Fiocruz

sexta-feira, 21 de julho de 2017

ban1

Mais informações em http://www.hemorio.rj.gov.br/congresso2017/

Fonte: Hemorio 

Os livros raros do acervo da Brasiliana já estão no ar



São 3 mil livros raros da coleção do casal Guita e José Mindlin à disposição dos leitores. Podem ser acessados pelo celular ou tablet a qualquer hora e lugar, gratuitamente, por estudantes, pesquisadores e interessados de todo o mundo. E o mais importante: as obras já estão disponíveis para download.


Folhear de um dispositivo móvel as páginas amarelecidas da obra editada no século 16 de Hans Staden – viajante alemão que esteve no Brasil por duas vezes combatendo nas capitanias de Pernambuco e de São Vicente – é uma aventura que, até há pouco tempo, era inimaginável. Pois bem. Esse livro e outras 2.999 obras que José Mindlin colecionou dos 15 aos 95 anos de idade podem ser apreciados graças à nova plataforma criada pela Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin da USP.
O coordenador responsável é o bibliotecário Rodrigo Moreira Garcia, que tem como meta buscar uma interface cada vez mais atualizada, facilitando ainda mais o acesso ao acervo da BBM Digital. “A nova plataforma está sendo desenvolvida totalmente em DSpace, ou seja, software de código fonte aberto que fornece facilidades para o gerenciamento de acervos digitais”, explica Garcia. “A plataforma possui design responsivo, ou seja, o layout da página se adapta de acordo com a resolução da tela em que está sendo visualizada, garantindo o acesso em dispositivos móveis como tablets e smartphones.” O projeto conta com a colaboração da Superintendência de Tecnologia da Informação e do Centro de Tecnologia da Informação da USP de São Carlos.
Garcia orienta os leitores sobre esse novo acesso, que, semanalmente, disponibilizará novas digitalizações. “Para uma visualização mais clean, o leitor/usuário terá a opção de visualizar as obras diretamente em seu browser em uma nova aba, ou ainda realizar o download da versão em PDF. Além disso, permite uma navegação e busca mais dinâmicas. Para torná-la mais atrativa ao usuário/leitor, os Thumbnails, ou seja, miniaturas usadas para tornar mais fácil o processo de procurar e reconhecer, remetem às capas originais das obras. Não mais às encadernações de capas de couro ou a uma folha de rosto, página ou figura significativa e representativa das obras.”
As novas digitalizações disponibilizadas são realizadas, segundo Rodrigo Garcia, de acordo com diretrizes internacionais de preservação digital, como as da International Federation of Library Associations and Institutions (Ifla). “A proposta é recriar, tanto quanto possível, as características materiais da obra original.”
Na avaliação de Garcia, mestre em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), que atua no Desenvolvimento, Gestão e Coordenação de Projetos de Tecnologia da Informação e Comunicação, a digitalização é a melhor estratégia que se conhece no momento para fins de preservação do objeto original. “Entretanto, o próprio objeto físico a ser digitalizado precisa estar em boas condições para passar pelo procedimento, pois a digitalização, em maior ou menor grau, expõe a obra a um certo nível de estresse”, ressalta. “É preciso manusear folha a folha, que fica exposta na máquina de escâner sob a luz direta. Por isso, antes é fundamental o trabalho de conservação, que prepara, higieniza, faz pequenos reparos nas obras. Assim temos o objeto físico preservado e acessível para leitores de todo o mundo.”
.

A biblioteca possui em seu acervo bibliográfico cerca de 60 mil volumes doados por José Mindlin. Dentre estes, muitos já estão em domínio público e poderão ser digitalizados.
.
As primeiras digitalizações do acervo foram iniciadas em 2008. Hoje são mais de 3 mil obras, que incluem livros, folhetos, periódicos, manuscritos, mapas e imagens, entre outros. “Estamos nos programando para que, semanalmente, novas obras digitalizadas sejam disponibilizadas. Dentre os 60 mil volumes da biblioteca doados por José Mindlin, muitos já estão em domínio público, livres de direitos autorais, e poderão ser digitalizados”, esclarece Garcia.

Entre os livros raros que já estão disponíveis, Rodrigo Garcia destaca a obra primorosa de Hans Staden. “Na primeira edição, publicada em 1557, ele descreve suas experiências no Brasil e como escapou de ser devorado por índios tupinambás em um ritual antropofágico. O texto teve um papel importante na construção de um imaginário sobre o Brasil e influencia até hoje produções na literatura, cinema e artes plásticas que se debruçam sobre a formação e a identidade nacional. A BBM também possui uma edição em português de 1900.”
Outra obra é a primeira edição, de 1595, de Arte da gramática da lingoa mais usada na costa do Brasil, escrita pelo padre José de Anchieta, da Companhia de Jesus. “Anchieta escreve a gramática ao perceber a grande semelhança da língua falada pelos indígenas do litoral: os tupis. Os jesuítas, desde cedo, determinaram que a catequese seria mais facilmente realizada se usassem a linguagem dos nativos. Assim, essa obra surge como um instrumento da conversão do indígena”, lembra Garcia. “Entre as novas digitalizações, destacam-se ainda os livros de João do Rio, pseudônimo de Paulo Barreto, jornalista, cronista, contista e teatrólogo brasileiro e membro da Academia Brasileira de Letras. São 23 obras já disponíveis.”
Para acessar o acervo da Biblioteca Digital BBM basta digitar o endereço: https://digital.bbm.usp.br/

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Saúde libera R$ 1,7 bilhão para ampliar atendimento em todo o país


O Ministério da Saúde investirá R$ 1,7 bilhão para qualificar e ampliar o atendimento à população em todo o país. A medida é resultado da economia obtida nesta gestão, que tem possibilitado reverter os recursos integralmente aos usuários do SUS. Essa ação possibilitará o custeio de novos serviços e ações na Atenção Básica, que inclui equipes de saúde da família, consultórios na rua, agentes comunitários de saúde e equipes de saúde bucal. Parte da verba também será destinada à aquisição de novos veículos para transporte de pacientes eletivos e em atendimento de urgência e emergência. O anúncio aconteceu durante evento para apresentação do balanço de gestão do ministério, nesta quinta-feira (13), no Palácio do Planalto, em Brasília.

Para o presidente Michel Temer esses recursos possibilitarão levar mais serviços para os municípios, melhorando a qualidade da assistência. “O que se faz hoje é uma festa cívica para a saúde. Provamos com o trabalho do ministro Ricardo Barros, em parceria com os municípios, a responsabilidade fiscal e social que está acontecendo no Ministério da Saúde. É uma gestão eficiente do dinheiro público aplicando mais recursos para área social. Um estado voltado, de verdade, para a promoção do bem-estar social”, ressaltou.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, celebra o fato da pasta está podendo garantir o funcionamento de serviços existentes, além da habilitação de novos. “Hoje colocamos em dia todas as portarias da atenção básica que estavam represadas desde 2014. Estamos absolutamente em dia com todos os compromissos de coparticipação do Ministério da Saúde com os estados e ainda estamos fazendo um grande trabalho no transporte solidário com mais me mil vans para levar pacientes que precisam de atendimento. Trabalhamos para a entrega de ambulâncias e, neste governo, vamos renovar 57% da frota do SAMU 192. Estamos garantindo segurança para os usuários com essas medidas”, destacou o ministro.


Do total de recursos, R$ 771,2 milhões serão investidos anualmente na Atenção Básica, principal porta de entrada para o SUS. O recurso servirá para custeio de 12.138 agentes comunitários de saúde, 3.103 novas equipes de Saúde da Família, 2.299 novas equipes de Saúde Bucal, 882 Núcleos de Apoio à Saúde da Família, 113 novas equipes de Saúde Prisional e 34 consultórios na rua. 

Ao todo, 1.787 municípios estão sendo beneficiados. Isso significa que mais de 22 milhões de brasileiros passam a ter mais acesso aos serviços de saúde pública. Dessa forma, o Ministério da Saúde está garantindo o credenciamento de todos os serviços da Atenção Básica que constavam documentação regularizada, mas que aguardavam habilitação por parte da pasta desde 2014.

Para o presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, Mauro Junqueira, esses anúncios atendem a um pedido antigo dos municípios. “As medidas anunciadas hoje são um grande anseio e reivindicações dos municípios. Temos há alguns anos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), UPAs, esperando esta habilitação. Esse anúncio de hoje resgata um compromisso assumido de destinação de recursos para prestar um com atendimento para a população”, ressaltou.

NOVAS AMBULÂNCIAS - Outros R$ 1 bilhão serão destinados a compra de ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) e outros veículos para atender as necessidades da população. Sendo R$ 277,6 milhões destinados para compra de 1.500 ambulâncias do SAMU 192. Além disso, mais R$ 510 milhões serão liberados aos municípios brasileiros para aquisição de 6.500 ambulâncias brancas e R$ 190 milhões para 1.000 vans. Esses veículos são usados no transporte de pacientes que necessitam de locomoção para os serviços de saúde, além de garantir o transporte de pacientes entre municípios e serviços de referência em outras cidades. Essa ação facilita o acesso a consultas, exames e internação para cirurgias eletivas.

Das ambulâncias do SAMU, o Ministério da Saúde irá ofertar 1.098 unidades para renovação da frota existente, com mais de cinco anos de uso. Outras 402 serão destinadas para expansão da oferta.  A medida irá beneficiar 134 regiões que não possuem esse tipo de serviço. Com isso, a cobertura da população chegará a 83,4%. 

Neste governo, 1.847 ambulâncias estão sendo adquiridas para renovação da frota. Somando as unidades que serão para expansão, serão ao todo 2.249 novas ambulâncias chegando aos municípios brasileiros. Garantindo a renovação de 57% da frota do SAMU 192. Atualmente, o País possui 3.215 ambulâncias em funcionamento, com custeio de mais de R$ 1 bilhão. 

MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE - Além de recursos para Atenção Básica, serviços voltados para média e alta complexidade também foram beneficiados. Ao todo, 6.063 serviços passaram a contar com recursos de habilitação/qualificação e expansão da oferta de serviços, com contrapartida federal anual na ordem de R$ 1,5 bilhão. O recurso beneficia serviços como leitos, oncologia, rede cegonha, rede de atenção psicossocial, saúde mental e demais serviços e ações de média e alta complexidade em todo o Brasil. Esse valor, também foi destinado a habilitação de 162 Unidades de Pronto Atendimento (UPA), que funcionavam sem contrapartida do governo federal.

AÇÕES DE GESTÃO - A eficiência de R$ 3,5 bilhões obtidas no primeiro ano de gestão com a melhoria da administração foi obtida com uma redução média de 20% nos 873 contratos e convênios do Ministério da Saúde. Entre os acordos renegociados estão 364 contratos de compra de medicamentos, vacinas e outros insumos de saúde, 49 de informática, 111 de serviços gerais e 349 de prestação de serviços. O valor equivale a uma economia de R$ 9,6 milhões por dia.

Entre as renegociações de maior destaque está a compra do medicamento Sofosbuvir, usado no tratamento de Hepatite C, o Ministério da Saúde conseguiu comprar cada unidade por um valor 31% menor do praticado anteriormente. Isso representa uma economia de R$ 298 milhões. Agora, com o mesmo valor gasto em 2015 para tratar 24 mil pacientes, será possível atender 35 mil pacientes. Outro bom resultado foi obtido na compra da vacina contra HPV, o preço por unidade ficou 11% menor, gerando economia de R$ 30 milhões. Recurso que viabilizou a vacinação também de meninos de 12 a 13 anos no país.

A estrutura física do Ministério da Saúde também passou por ajustes. Com a realocação de servidores que estavam em quatro diferentes prédios de Brasília (DF) em apenas um, será possível uma redução e gastos de R$ 9 milhões por ano. Também foi feita uma análise sobre os contratos de informática sem prejudicar a prestação de serviço. A partir disso, foi obtida economia de R$ 174 milhões. O ministério também fez um levantamento para aperfeiçoar o uso de transporte pelos seus funcionários o que poupou R$ 2 milhões.

Especialistas falam da importância de se vacinar



Estão sobrando vacinas no Brasil. Um prejuízo de milhões de reais na saúde pública brasileira. As pessoas estão deixando de se proteger de doenças importantes. Dez milhões de doses da vacina contra a gripe, por exemplo, ficaram esperando pelo público.


Menos da metade das meninas entre 9 e 14 anos receberam as doses recomendadas da vacina contra o HPV. Outro exemplo é a tríplice viral – menos de 80% do público-alvo tomou a vacina.




O infectologista e consultor Caio Rosenthal e o médico da família Rodrigo Bandeira de Lima participaram do Bem Estar desta quinta-feira (13) para tirar dúvidas importantes sobre as vacinas e esclarecer o que é mito e o que é verdade.


Muita gente acaba optando por não tomar a vacina por não considerar segura. Entretanto, os especialistas reforçam que é importante se vacinar. Quando elas entram no mercado é porque comprovaram que causam mais benefícios do que riscos. Não tomar pode trazer danos irreversíveis.


As vacinas agem para produzir uma proteção comparável à natural, mas com a vantagem de não trazerem o risco da doença e suas complicações. É importante tomar a vacina, mesmo que ela já tenha sido eliminada do lugar em que a pessoa vive.

Fonte: G1










Farmanguinhos vai produzir medicamento para isquemia cardíaca

O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) vai produzir um importante medicamento para tratamento de isquemia cardíaca, o Vastarel, na concentração 80 mg. Com o objetivo de abastecer o Sistema Único de Saúde (SUS), a fabricação no Complexo Tecnológico de Medicamentos (CTM) será viabilizada a partir de uma parceria entre a unidade da Fiocruz e o laboratório francês Servier. O diferencial deste acordo está na internalização da tecnologia de micropellets, modo de encapsulamento que possibilita liberação diferenciada dos fármacos. Incorporada, tal tecnologia poderá ser usada, futuramente, para o desenvolvimento de outros medicamentos de interesse do SUS.
Segundo a vice-diretora de Operações e Produção (VDOP), Elda Falqueto, a etapa de transferência começou no mês passado, quando especialistas do LTF, da VDOP e do Núcleo de Validação e Qualificação (NVQ) visitaram as instalações da Egis Pharmaceuticals, empresa vinculada ao grupo Servier localizada na Hungria. A planta é especializada neste tipo de produção em micropellets.
Desta forma, durante três dias (6,7 e 8 de Junho), três profissionais de Farmanguinhos permaneceram na cidade de Körmend absorvendo a tecnologia: Abel Alves Rosa Junior (VDOP), Douglas Andrade (LTF) e Rodrigo Correa (NVQ). “Acompanhamos o processo de produção dos micropellets revestidos de liberação modificada tendo a oportunidade de aprender detalhes deste processo produtivo complexo e detalhado. A absorção desta tecnologia é de grande importância estratégica para Farmanguinhos, uma vez que a capacidade de produção desta forma farmacêutica aumenta as possibilidades de produção e desenvolvimento de novos medicamentos”, avalia o farmacêutico Abel Alves Rosa Junior.
Chefe do Laboratório de Tecnologia Farmacêutica (LTF), Juliana Johansson destaca que estes sistemas de micropellets permitem a otimização da biodisponibilidade de diversos princípios ativos ou a modulação do perfil de dissolução das formas farmacêuticas, facilitando a veiculação e absorção delas pelo organismo do paciente.
“No caso específico do Vastarel, o princípio ativo contido nos micropellets apresenta liberação prolongada, fazendo com que esta ocorra de forma lenta e contínua no organismo. Com esta tecnologia, a concentração plasmática se mantém mais estável no paciente, reduzindo a ocorrência de eventuais efeitos colaterais provocados pelo medicamento. Outra vantagem é a redução do número de tomadas diárias do medicamento, já que uma dose maior pode ser entregue lentamente ao longo do tratamento e, consequentemente, o aumento da adesão”, explica Juliana.
Outro benefício apontado pela farmacêutica é a possibilidade de revestir os micropellets com polímeros gastrorresistentes. “Desta forma, permite-se que o princípio ativo seja disponibilizado apenas em porções específicas do trato gastrointestinal do usuário. Esse recurso tecnológico pode ser vantajoso no caso de moléculas que sofrem degradação em pH ácido ou que possuem máximo de absorção em faixas de pH alcalinas”, observa a pesquisadora.
Quanto à parceria em si, Juliana Johansson afirma que o convênio beneficia as duas instituições, assim como todas as demais que envolvem contato entre equipes técnicas de diferentes empresas e com culturas diversas. “Do ponto de vista de Farmanguinhos, mais especificamente, é um grande ganho trabalhar com um parceiro disponível para que o treinamento na nova tecnologia ocorra de maneira transparente e proveitosa. O fato de a Servier abrir as portas para transferir a tecnologia do seu processo de obtenção dos micropellets, que serão encapsulados em Farmanguinhos, proporciona um grande crescimento à nossa equipe”, avalia.
Fonte: Fiocruz